Fundação Municipal de Cultura divulga mais três editais para o São João 2014


A Prefeitura de São Luís, por meio da Fundação Municipal de Cultura, divulga hoje mais três editais referentes ao São João 2014. Os três editais tratam do credenciamento de barracas de alimentos e comércio de ambulantes na área interna do Arraial na Praça Maria Aragão e também da seleção de propostas para apoio, com programação artística, aos arraiais juninos nos bairros de São Luís.

As inscrições para o credenciamento de barracas será no período de 24 de abril a 14 de maio, das 13h às 19h (segunda à quinta), e das 8h às 14h (sexta-feira), na sede da Fundação. Serão disponibilizadas 16 barracas para o comércio de alimentos. Poderão ser credenciados pessoas físicas e jurídicas, conforme regulamentação prevista no edital.

As barracas serão cedidas pela Prefeitura após sorteio entre os regularmente inscritos no edital. Os credenciados sorteados assinarão termo de compromisso e será cobrada uma taxa de cessão para o aluguel  das barracas no período de 13 a 29 de junho, das 17h às 1h. Todos deverão obrigatoriamente participar do curso de boas práticas de manipulação de alimentos e será proibida a venda ou aluguel do ponto cedido.

Acesse abaixo o edital e anexo referentes ao credenciamento de barraca de alimentos:

Comércio de ambulantes - O terceiro edital trata do credenciamento de comércio de ambulantes na área interna do Arraial da Praça Maria Aragão. O período de inscrições também vai de 24 de abril a 14 de maio, na sede da Fundação. Poderão participar pessoas físicas e a seleção acontecerá por meio de sorteio, no dia 16 de maio, no Auditório do Memorial Maria Aragão.

Os ambulantes também deverão participar do curso de boas práticas de manipulação de alimentos. Será cobrada uma taxa simbólica para os credenciados, que varia de acordo com a natureza da atividade de comércio.

Acesse abaixo o edital e anexo referentes à comercialização de ambulantes:

Apoio às comunidades – O quarto edital convoca pessoas físicas e jurídicas interessadas em obter apoio da Prefeitura com envio de programação artística, durante o período de 13 a 29 de junho. As inscrições vão de 24 de abril a 16 de maio, no horário de funcionamento da Fundação.

Serão selecionadas 40 propostas de arraiais. Cada arraial selecionado receberá o apoio de 03 atrações artísticas, correspondentes às seguintes categorias: bumba-meu-boi, tambor de crioula, quadrilha, dança do coco, cacuriá, dança portuguesa, dança do boiadeiro, grupo alternativo, entre outros. As propostas já devem possuir estrutura de som especificada na ficha de identificação.

Acesse abaixo o edital referente ao apoio às comunidades.

São João 2014 - Este ano, o São João tem como objetivo continuar o trabalho em torno da festa e cultura popular, ampliando a sua forma de realização e fomentando as tradições populares, sem perder de vista os aspectos contemporâneos das culturas. No ano da Copa, o arraial promovido pela Prefeitura pretende atrair visitantes do Brasil inteiro, a partir do tema “São João de São Luís – O Arraial do Brasil é Aqui”.

Novamente a Praça Maria Aragão concentrará parte da programação, onde será montado o arraial “Terreiro da Maria”, com barracas de alimentação, artesanato, institucionais e espaço para atividades lúdicas, brincadeiras, oficinas populares e contação de histórias, além de outras atividades que vão integrar o arraial.

Está previsto para o dia 28 de abril um workshop organizado pela equipe técnica da Fundação para orientar e tirar dúvidas a respeito dos editais para o São João 2014.

Mais informações aqui no Blog e na fan page da Fundação.

Prefeitura divulgará em junho o resultado do 35º Concurso Literário


Retificação do edital foi publicada no dia 28 de março, com definição dos critérios de julgamento e da Comissão Julgadora. Serão premiadas 08 obras literárias.

No dia 28 de março foi publicada no Diário Oficial do Município a Portaria de Nº 45/2014, que trata da alteração do critério do julgamento das obras e da formação da comissão julgadora concorrentes ao 35º Edital do Concurso Literário “Cidade de São Luís”, evento que estimula a produção literária de autores maranhenses.

A expectativa é grande entre os concorrentes inscritos. Segundo os coordenadores da Secretaria Executiva do Concurso Literário, Márcio Almeida e Francimeire Cavalcanti, até a segunda semana do mês de junho o resultado final deverá ser divulgado.

Até 04 de outubro do ano passado, data final de inscrição, 104 concorrentes se inscreveram no concurso, tendo sido 04 deles indeferidos. Ao todo, 98 obras estão concorrendo em oito categorias: romance, novela, contos, poesia, ensaios, peça teatral, literatura infantojuvenil e jornalismo literário.

Em dezembro, devido a impossibilidades administrativas, o calendário previamente estabelecido pela Fundação teve que ser alterado. Com isso, houve a possibilidade de reorganizar os critérios de julgamento e também formar uma comissão julgadora mais criteriosa, formada por 1 presidente e 16 membros (02 por categoria, sendo um maranhense e outro de fora).

A comissão está sendo presidida pela professora doutora Márcia Manir Miguel Feitosa, que desenvolve pesquisas e estudos na área de Literatura Brasileira e Portuguesa, Literatura e Cultura Maranhense, Estudos Literários, entre outras áreas.

“Antes, não tínhamos jurados de fora na comissão. A escolha de 08 profissionais de outros estados se deu com base nos currículos e experiência profissional. São professores, escritores e críticos literários renomados que só divulgaremos o nome junto com a divulgação final do concurso. A comissão terá 60 dias para avaliar todo o material, por isso esperamos que até a segunda semana de junho teremos o resultado final da premiação”, explicou Márcio Almeida.

A premiação será de dez salários mínimos, mais a publicação da obra e certificado para os primeiros colocados de cada categoria. Os trabalhos premiados serão publicados pela Fundação num total de mil exemplares de cada categoria. Será também produzida uma tiragem em Braille, que será distribuída para bibliotecas públicas e entidades que atendem deficientes visuais em São Luís.

Sobre o Concurso Literário – O concurso literário e artístico de São Luís tem como objetivo selecionar, premiar e publicar trabalhos inéditos de autores maranhenses ou comprovadamente radicados no Maranhão há pelo menos um ano.

Em sua 35ª edição o concurso trouxe como novidade os prêmios: “Dona Carochinha”, obras literárias direcionadas para o público Infanto-juvenil; o “Arthur Azevedo”, para peças teatrais; e, o “João Lisboa”, para a categoria Jornalismo Literário.

Juntam-se, a estes, outros tradicionais prêmios, totalizando oito categorias. São eles: Prêmio Aluízio Azevedo: categoria – romance; Prêmio Antonio Lopes: categoria – ensaios; Prêmio Graça Aranha: categoria – novela; Prêmio Coelho Neto: categoria – contos; Prêmio Sousândrade: categoria – poesia.

A categoria Ensaios contempla trabalhos oriundos de pesquisa histórica, pesquisa folclórica, crítica literária, dentre outros. E, a categoria Jornalismo Literário abrange texto único ou coletânea de textos, com no mínimo 50 páginas.

Portaria 45-2014

Comunicado


A Fundação Municipal de Cultura (Func), órgão vinculado à Prefeitura de São Luís, comunica a todos que, até o dia 23 de abril, todos os artistas que prestaram serviços para o evento Aniversário da Cidade, em setembro de 2013, terão o pagamento efetuado por meio da Fundação Sousândrade.

Avisamos ainda que o repasse do pagamento foi autorizado no dia 15 de abril, após a sinalização da Secretaria Municipal da Fazenda (SEMFAZ), e que cada artista será notificado pessoalmente sobre a confirmação do pagamento.

São Luís, 17 de abril de 2014.

 

Func divulga edital de contratação de atrações artísticas para o São João


Atendendo à política de democratização, diversificação, descentralização e transparência da Prefeitura de São Luís, a Fundação Municipal de Cultura (Func) divulga, a partir desta quarta-feira (16), o Edital Nº 06/2014, referente à inscrição, seleção e contratação de propostas de atrações artísticas para o período do São João deste ano, que terá como tema “São João de São Luís – O Arraial do Brasil é Aqui”.

As inscrições estarão abertas no período de 22 de abril a 16 de maio, das 13h às 19h, de segunda à quinta, e das 8h às 14h na sexta-feira, para os proponentes que já tenham espetáculos artísticos prontos para apresentações com duração máxima de 60 minutos, com exceção de horário previsto no edital.

Poderão se inscrever grupos e manifestações da cultura popular (grupos de bumba-meu-boi, tambor de crioula, danças, grupos alternativos, grupos mirins de cultura popular), propostas de shows musicais e forró pé de serra, espetáculos cênicos (teatro, contação de história, intervenções artísticas).

As propostas selecionadas integrarão a programação junina do Arraial da Maria Aragão (Terreiro da Maria) e arraiais comunitárias e eventos institucionais apoiados pela Func. No ato de inscrição, cada proposta deverá conter:

a) Ficha de Inscrição preenchida e assinada pelo proponente (Anexo 1);
b) Portfólio ou currículo do grupo/artista e material de divulgação (fotos, recortes de jornal, folders, documentários etc.);
c) Descrição escrita apresentando a história do grupo com relevâncias na construção da cultura maranhense do artista ou grupo cultural, a configuração de sua apresentação no que diz respeito a tempo de apresentação do espetáculo, número de participantes, conteúdo musical e/ou dramático, tipo de indumentária (figurino), processo de criação e mais o que possa agregar como identidade de sua proposta (vide modelo no Anexo 2).
d) CD e/ou DVD com indicação do formato do arquivo, salvo na mídia;
e) Repertório musical, aplicável às categorias de Show Musical e Forró Pé de Serra;
f) Mapa de palco, para as categorias em que este item se aplicar;

Acesse aqui o edital e anexo:

Espetáculo recria a Paixão de Cristo em releitura social


5

A peça Ele Vai Voltar, da Companhia Maranhense de Teatro, ficará em cartaz no Teatro da Cidade, de 17 a 20 de abril, com sessões às 18h e 20h.

No período em que a liturgia cristã celebra a semana santa, a Companhia Maranhense de Teatro (COMARTE) apresentará no palco do Teatro da Cidade (Antigo Cine Roxy) a peça “Ele Vai Voltar”, uma narrativa crítica e social da tradicional Paixão de Cristo. O espetáculo entra em cartaz nesta quinta (17) e fica até o domingo (20), com sessões às 18h e 20h.

Como seria a vinda de Jesus nos dias hoje? Qual sentido de humanidade o profeta cristão viria anunciar? A partir destas reflexões, o espetáculo vai recontando a história da Paixão de Cristo, desde o nascimento até a crucificação, passando pelo debate de questões sociais como a poluição ambiental, o trabalho infantil, a diversidade sexual, entre outros temas.

“Queremos trazer mais humanidade para a imagem de Cristo, aproveitando o período da semana santa para oferecer ao público um espetáculo reflexivo, que resgata os valores cristãos nos tempos atuais, com os problemas que temos hoje: guerra, corrupção, miséria, catástrofes”, explicou Elton Lima, produtor do espetáculo.

Com texto de José Raimundo Gonçalves, a produção do espetáculo é quase um musical, com sete atores e bailarinos em cena. Na trilha sonora, músicas tradicionais e populares.

Segundo Josimael Caldas, diretor do espetáculo, “a produção é acima de tudo, a demonstração do anseio de lutar por melhores condições de vida dizendo não às mazelas sociais; e acreditar, que somos capazes de construir uma sociedade nova pautados na fé, sendo as artes cênicas elementos primordiais dessa construção”.

“Ele Vai Voltar” tem direção de Josimael Caldas, produção e coreografias de Elton Ricardo Lima, iluminação de Jadsuel Monteiro e no elenco os atores e dançarinos: Bruno Oliveira, Gabriel Marlen, Jéssica Adelany, João Olicar, Rita Caldas e Sábita Lopes.

Serviço: Espetáculo Ele Vai Voltar, da Companhia Maranhense de Teatro (COMARTE)
Quando: 17 a 20 de abril
Horário: 18h e 20h
Local: Teatro da Cidade – Rua do Egito (Antigo Cine Roxy)
Ingressos: R$ 20,00 (inteira) R$ 10,00 (meia) na bilheteria do Teatro
Contato/Produção: 8825-0379 / 8844-4919

Aspectos da azulejaria de fachada serão debatidos na Galeria Trapiche


seminário com Paulo César (3)

Palestra com o professor Paulo César Carvalho acontece nesta quarta (16), às 19h, na Galeria Trapiche Santo Ângelo.

Azulejaria de Fachada é o tema da palestra que será ministrada pelo professor e especialista em azulejaria, Paulo César Alves de Carvalho, nesta quarta (16), às 19h, no salão da Galeria Trapiche Santo Ângelo (Praia Grande). A palestra faz parte de uma série de atividade promovidas pela Prefeitura de São Luís, por meio da Fundação Municipal de Cultura.

Serão discutidos aspectos históricos e estéticos do uso de azulejos em fachadas e prédios de São Luís e de como a azulejaria ainda permanece como um recurso arquitetônico. A capital maranhense, reconhecida mundialmente como patrimônio cultural, especialmente, pelo conjunto arquitetônico com fachadas e azulejarias portuguesas do Século 19, ainda mantém o uso da azulejaria como recurso estético e funcional.

Segundo o pesquisador, o hábito da azulejaria em fachadas começou no Brasil, quando da vinda dos portugueses para cá. Os brasileiros emergentes usavam azulejo de banheiro e cozinha para revestir espaços inteiros das fachadas. Hábito que se repete hoje na periferia.

“O que a gente observa é que tem se tornado cada vez mais econômico o uso de pequenos azulejos em formato de pastilhas. Para os mais ricos ficou cafona, mas para os mais pobres tornou-se um objeto funcional e esteticamente interessante”, explicou Paulo César.

A palestra dá continuidade ao tema da azulejaria já discutida pelo pesquisador no dia 03 de abril, quando tratou da gênese da azulejaria maranhense.

Sobre o palestrante – Paulo César é professor do Departamento de Artes da Universidade Federal do Maranhão, licenciado em Educação Artística e Plástica pela UFMA (1985), especialista em História do Maranhão (2004), com pesquisas na área de Conservação e Restauração de Azulejos, tendo participado da Criação do Museu do Azulejo no Maranhão para a Universidade Federal do Maranhão em 2003.

Prefeitura debate políticas culturais em seminário interno


DSC_0921

Evento acontecerá nesta sexta (11), pela manhã e à tarde, no Grand São Luís Hotel.

Nesta sexta-feira (11), a Prefeitura de São Luís, por meio da Fundação Municipal de Cultura (Func), promoverá o II Seminário de Políticas Culturais direcionado para os conselheiros municipais e servidores da Func. O evento será realizado no Grand São Luís Hotel, durante todo o dia.

Na reunião, serão deliberadas algumas propostas de alteração da Lei do Conselho Municipal da Cultura (COMCULT), a revisão da Lei de Incentivo à Cultura (Lei 3.700/1998), a lei que trata da criação do Sistema Municipal de Cultura e também serão apresentadas as propostas de alterações de minutas de lei que compõem o Plano Municipal de Cultura (PMC), discutidas no I Seminário realizado no dia 24 de março deste ano.

“A reunião tem como objetivo organizar todos os instrumentos legais para que possamos implantar o Plano Municipal de Cultura. É um processo que requer a discussão com representantes da sociedade civil (Conselho Municipal de Cultura) e também com os técnicos da Fundação, para que todos possam saber como funcionará a execução do Plano”, explicou Elizandra Rocha, coordenadora da Comissão de Políticas Culturais da Func.

Pautas de discussão
Em relação à Lei do COMCULT, a principal discussão será em torno da reformulação da representatividade do Conselho Municipal. No texto da Lei Orgânica do Município, o Conselho tem entre suas atribuições o caráter “consultivo, normativo e deliberativo”. O que está sendo sugerido também é a inclusão da função “deliberativa” no texto da Lei Conselho, que, atualmente, tem o caráter “propositivo, opinativo, fiscalizador e consultivo”, além de atender à necessidade de torná-lo mais diverso, com representantes das mais diversas áreas da cultura.

Já em relação à Lei de Incentivo à Cultura a proposta é revisar o que diz respeito à dedução dos impostos fiscais. “A lei, da maneira como está organizada atualmente, fere a Lei de Responsabilidade Fiscal quando coloca a dedução direta do IPTU (Imposto Predial Territorial Urbano). Na proposição que vamos apresentar a dedução ficará somente vinculada ao Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN)”, disse Elizandra. A lei está paralisada há 13 anos.

As deliberações apresentadas durante o seminário de sexta terão um novo desdobramento no dia 09 de maio, quando serão discutidos especificamente a Lei de Incentivo à Cultura e a Lei do Fundo Municipal de Cultura.

Estudantes da rede municipal de ensino aprendem através do teatro


foto maria aragaoFoto: Paula Rodrigues

“Aprendi que nunca devo desistir dos meus sonhos. Ela foi uma mulher batalhadora, guerreira e que sempre lutou apesar das dificuldades”, disse a aluna Daniele Nogueira, após assistir à biografia cênica de Maria Aragão apresentada nesta terça-feira (8) no Teatro Municipal aos alunos da rede municipal de ensino. Até o final da semana, a Prefeitura de São Luís levará mais de 600 adolescentes do 6º ao 9º anos ao teatro para assistir “A Besta Fera”, peça teatral quatro vezes premiada e exibida no Rio de Janeiro, Brasília, Florianópolis e em Cuba.

“O monólogo apresentado pela atriz Maria Ethel ganhou ainda mais vida porque a atriz conviveu com Maria Aragão, na década de 80. “Eu me juntei com Maria Aragão porque, assim como ela, sempre acreditei em um país melhor. Nós não vamos esquecê-la jamais”, disse a atriz, que conviveu com a médica maranhense e hoje a representa na peça.

A parceria entre a Fundação Municipal de Cultura (FUNC), Secretaria Municipal de Educação (Semed), Universidade Federal do Maranhão e Xama Teatro é uma iniciativa bem vista pelos gestores, coordenadores e professores da rede municipal. “Muitos alunos não conheciam a história de Maria Aragão. O que tivemos aqui foi uma verdadeira aula de história, sendo contada de maneira real e viva. Enaltecer os personagens que marcaram a nossa cidade, o nosso estado é um grande legado que deixamos aos alunos”, afirmou a gestora Soraya Pinheiro, da U.E.B. Luís Viana.

O espetáculo também faz alusão aos 50 anos do fim do golpe militar, contando a história de uma personagem que foi presa e torturada durante o regime. “Relembrar personalidades da nossa história que são muitas vezes esquecidas e apagadas é o nosso papel. Queremos que a figura de Maria Aragão esteja sempre viva em nossas memórias e nas memórias dos que ainda virão. Essa é uma forma de eternizá-la”, disse Gisele Vasconcelos, diretora do espetáculo.

O Memorial Maria Aragão também receberá apresentações do espetáculo. Na quinta-feira (10), o monólogo será encenado às 10h, também com a presença de alunos da rede municipal de ensino. E na sexta-feira (11), em dois horários: às 15h e 19h. No espaço, os alunos e visitantes também poderão conferir uma exposição que resgata a trajetória de vida e militância da médica maranhense.

Peça Besta Fera volta aos palcos de São Luís nesta semana


IMG_7979Espetáculo sobre a vida de Maria Aragão será apresentado no Teatro da Cidade, dias 08 e 09, e no Memorial Maria Aragão, dias 10 e 11, para alunos da rede municipal.

Durante o mês de março, a Fundação Municipal de Cultura (Func) organizou atividades em memória da luta contra os 50 anos do Golpe de 1964. A memória de Maria Aragão foi revisitada como uma das principais personalidades que lutaram no Maranhão contra a ditadura militar. De amanhã (08) até sexta-feira (11), a peça A Besta Fera, do Grupo Xama Teatro, será reapresentada nos palcos do Teatro da Cidade e do Memorial Maria Aragão, respectivamente, para um público especial: alunos da rede pública municipal de ensino.

As apresentações integram o projeto Maria Sempre Viva e os 50 anos do Golpe, que visa promover debates e reflexões sobre os 50 anos do golpe civil-militar, a partir da memória da líder comunista Maria Aragão, divulgar o Memorial Maria Aragão e despertar nos jovens o interesse pelo reconhecimento da memória e história nacional.

A peça conta a história da maranhense Maria José Camargo Aragão (1910-1991), conhecida Maria Aragão, em sua história de pobreza extrema na busca da superação da fome, do preconceito e da agressão. Na perseguição do sonho de libertar a humanidade, através da conquista de profissão, a medicina, Maria Aragão, entrega-se apaixonadamente, às causas sociais, lutando por uma sociedade justa e igualitária.

No texto, depoimentos retirados do livro “Maria, uma história de paixão” e também do diário de prisão da militante que pode ser visto em exposição no Memorial Maria Aragão. Entre relatos, canções (como “Pedaço de mim”, de Chico Buarque, e “Gracias a La Vida”, de Violeta Parra), a atriz Maria Ethel interpreta com grande força dramatúrgica a figura da médica.

O espetáculo estreou nos palcos em 2008, com após ter ganhado o Prêmio Funarte de Teatro Myriam Muniz de 2007. Em fevereiro deste ano, o espetáculo participou do II Festival de Monólogos Latinoamericanos em Cuba.

O projeto Maria Sempre Viva e os 50 anos do Golpe é uma realização do Grupo Xama Teatro em parceria com a Universidade Federal do Maranhão e patrocínio da Fundação Municipal de Cultura.