Prefeitura realiza lançamento da 9ª Feira do Livro de São Luís nesta terça, 4


Evento será realizado às 18h, no Centro de Criatividade Odylo Costa, filho. Na ocasião, acontecerá sessão de autógrafos com escritores premiados no 35º Concurso Literário Cidade de São Luís.

O maior evento literário do Maranhão, a Feira do Livro de São Luís, já está com parte da programação definida e a presença de escritores nacionais confirmados. Em sua nona edição, a Feira acontecerá no período de 2 a 11 de outubro, na Praia Grande, ocupando os principais espaços culturais, ruas e praças do Centro Histórico. Nesta terça feira (4), a Fundação Municipal de Cultura (Func) anunciará o tema, homenageados e as novidades da Feira deste ano em solenidade que acontece às 18h, no Centro de Criatividade Odylo Costa, filho.

Além do lançamento da Feira, durante o evento acontecerá o coquetel e sessão de autógrafos com os escritores premiados no 35º Concurso Literário Cidade de São Luís. Os dois eventos – a Feira e o Concurso Literário – são os principais instrumentos de fomento à produção literária promovidos pela Prefeitura e que atende à política de cultura do município.

“A Feira é um evento instituído por lei municipal e, neste ano, vem reafirmar a necessidade de ocuparmos novamente o Centro Histórico como importante espaço de mediação cultural para o desenvolvimento humano e social na relação dos cidadãos com a cidade e seu patrimônio. O concurso literário é um dos principais instrumentos de fomento à produção literária. Unir os dois principais eventos do município é uma ação estratégica para o segmento da literatura”, explicou Marlon Botão, presidente da Func.

Concurso Literário
Ao todo, oito escritores participarão da sessão de autógrafos dos livros premiados pelo 35º concurso literário. Cada escritor irá comercializar 100 exemplares das publicações em preço acessível, com exceção do escritor Claudicélio Rodrigues, por estar na cidade de Fortaleza.

Foram premiadas as seguintes obras: “Cafés Amargos” (romance), de Sabryna Rosa Mendes de Castro; “O Labirinto” (novela), de Adonay Ramos Moreira; “O Suicida” (contos), de Antônio Carlos Araújo Ribeiro Júnior; “A Formiguinha Bruna e o Reino das Saúvas” (literatura infantojuvenil), de Wescley Brito da Silva; “A Ilha do Encoberto” (poesia), de Claudicélio Rodrigues da Silva; “Post Mortem” (peça teatral), de André Felipe Cruz Correa; “A Flecha, a Pedra e a Pena: João Affonso, Aluísio Azevedo e a primeira revista ilustrada do Maranhão” (ensaios), de Iramir Alves Araújo e “Vem Cá Curiar Cacuriá” (jornalismo literário), de Inara Conceição Melo Rodrigues.

Além deles, a escritora Lenita Estrela de Sá também participará do lançamento das obras com o livro “Pincelada de Dali e outros poemas”, que recebeu o Prêmio Sousândrade de Poesia, concedido em 2010. Com prefácio escrito por Ferreira Gullar, o livro retrata temas diversos, como o amor, encantos da vida e exaltação á cidade.

Sobre a FeliS
A 9ª Feira do Livro de São Luís será realizada de 2 a 11 de outubro, na Praia Grande, ocupando os principais equipamentos culturais daquela área da cidade, a exemplo da Casa do Maranhão, Centro de Criatividade Odylo Costa, filho, Teatro João do Vale, o prédio dos cursos de Arquitetura e História da Universidade Estadual do Maranhão, as ruas Portugal e Trapiche, o Beco Catarina Mina, a Praça Valdelino Celso, entre outros pontos turísticos.
Com o tema “Cidade Livre, Cidade do Livro”, foram convidados escritores como Leonardo Boff e Daniel Munduruku. A patrona será a historiadora, professora universitária e escritora Lourdinha Lacroix e as homenageadas, Raimunda Frazão (poeta e cordelista), Mairy Ferreira (professora universitária e bibliotecária), Alberico Carneiro (jornalista) e Mário Meireles (in memoriam).

Fundação Municipal de Cultura abre pauta de diálogo com segmento artístico


marlon

Artistas, produtores culturais e integrantes do Fórum de Artes Cênicas da capital maranhense realizaram, na tarde da quarta-feira (29), na Fonte do Ribeirão, um ato público em prol das melhorias das políticas públicas municipais e estaduais para a área da cultura.

Os manifestantes apresentaram uma carta aberta com a pauta de reivindicações para ser entregue à Prefeitura de São Luís e ao Governo do Estado, com as seguintes propostas direcionadas para a Fundação Municipal de Cultura (Func): Regulamentação do Fundo Estadual de Cultura, realização de concurso público para área de Cultura, entrega do Circo da Cidade, divulgação de editais para fomento das artes cênicas, criação dos pontos de cultura e projetos na área do teatro.

Para Alana Araújo, teatróloga e coordenadora do Fórum, a profissionalização dos equipamentos culturais, a melhoria da estrutura e ampliação das políticas públicas faz parte de um movimento de reivindicação que vai mais além da aplicação dos recursos e gestão pública do setor da cultura. “O artista quer que o governo

O presidente da Func, Marlon Botão, conversou com os manifestantes e reafirmou a manutenção do diálogo aberto entre a Prefeitura e o segmento, que tem acontecido desde o início de sua gestão, no começo deste ano.

“A Func sempre esteve de portas abertas para o diálogo com a população e estamos realizando diversas ações para o setor a partir do planejamento estratégico que apresentamos em fevereiro. Todos os projetos e ações realizadas pela Func estão alinhados com as políticas públicas nacionais para o setor da cultura. Já estamos implantando algumas destas ações, como a regulamentação da Lei de Incentivo, a implantação do Sistema Municipal de Cultura, a revitalização dos projetos do Cine Teatro da Cidade, a entrega dos pontos de cultura até o segundo semestre deste ano e a reforma do Circo da Cidade, procurando realizar uma gestão que busca a melhor participação social, sempre com a presença do Conselho Municipal de Cultura no processo de construção coletiva”, explicou Botão.

Após o protesto na Fonte do Ribeirão, os manifestantes seguiram pelas ruas até o Palácio dos Leões. Na próxima semana, haverá uma reunião com os representantes do Fórum de Artes Cênicas para o diálogo com a Fundação Municipal de Cultura.

Prefeitura promove atividades de incentivo à leitura e lazer nas férias


Projeto "Férias na Biblioteca: Leitura, Cultura e Esporte" vai promover atividades culturais na Biblioteca Municipal.

Projeto “Férias na Biblioteca: Leitura, Cultura e Esporte” vai promover atividades culturais na Biblioteca Municipal.

Para a criançada, o mês de julho é dedicado ao lazer das férias escolares. Com o objetivo de aproximar as crianças do ambiente da biblioteca neste período, a Prefeitura de São Luís, por meio da Fundação Municipal de Cultura (Func) e Biblioteca Municipal José Sarney, vai promover, de 29 a 31 de julho, das 9h às 11h, o projeto “Férias na Biblioteca: Leitura, Cultura e Esporte”, com atividades lúdicas e interativas para a comunidade do Bairro de Fátima e adjacências.

“O projeto já faz parte do calendário cultural de atividades da biblioteca. A procura sempre é grande. A ideia é convidar a criança que está de férias em casa para se divertir e descobrir o prazer que há na leitura, no universo lúdico que está nos livros”, explica a coordenadora da Biblioteca Municipal, Rita Oliveira.

Serão oferecidas atividades de incentivo à prática de leitura de forma dinâmica, com oficinas, jogos, brincadeiras e contação de histórias para crianças na faixa etária entre 7 a 12 anos, estimulando a convivência com o espaço da biblioteca e o prazer pelo hábito de ler.

Embora direcionado para a comunidade do entorno do equipamento cultural, o projeto é aberto para toda população. A Biblioteca Pública Municipal José Sarney fica na Rua do Correio, s/n, Bairro de Fátima.

PROGRAMAÇÃO

DIA 29/07 – 8h30 às 11h

  • Abertura e boas vindas.
  • Contação de História com servidores da Biblioteca.
  • Atividade de recreação e brincadeiras (corrida do saco, campeonato de bambolê, pula elástico, dominó e travinha), com a colaboração do educador físico Pinheiro (CRAS/Bairro de Fátima)
  • Distribuição de lanche

Dia 30/07 – 8h30 às 11h

  • Abertura e boas vindas.
  • Contação de História com servidores da Biblioteca.
  • Papo culto: a arte de decorar com balões, com a colaboração da instrutora Cristina Costa.
  • Distribuição de lanche

Dia 31/07 – 8h30 às 11h

  • Abertura e boas vindas.
  • Bate papo sobre a dança e seus encantos e oficina com colaboração da instrutora  Joana Carla.
  • Contação de História com servidores da Biblioteca.
  • Distribuição de lanche

Parceria: Centro de Referência de Assistência Social do Bairro de Fátima (CRAS)

36º Concurso Literário – Retificação


A Fundação Municipal de Cultura (Func), por meio da Secretaria Executiva do 36º Concurso Literário da “Cidade de São Luís”, instituída pela Portaria nº 030/2015 de 13 de abril de 2015, retifica a lista de inscrições deferidas do presente concurso, publicada no dia 13 de julho de 2015, da categoria POESIA, totalizando, desta forma, 69 inscrições, conforme documento abaixo.

 

CELSO BORGES LANÇA REVISTA FÚRIA NA GALERIA TRAPICHE


Publicação reúne poemas e ilustrações, que ficaram em exposição no local. Evento acontece dia 16 de julho, às 19h, com performance poética de Áurea Maranhão e Claudio Marconcine. Foto: Iustração da capa.

Publicação reúne poemas e ilustrações, que ficaram em exposição no local. Evento acontece dia 16 de julho, às 19h, com performance poética de Áurea Maranhão e Claudio Marconcine. Foto: Ilustração da capa.

Fomentar a produção das manifestações artísticas é uma das metas da Prefeitura de São Luís, por meio da Fundação Municipal de Cultura (Func). A Galeria Trapiche Santo Ângelo, equipamento cultural do município, vem desempenhando um papel fundamental no sentido de favorecer espaço para as mais variadas manifestações artísticas do Maranhão. Nesta quinta-feira (16), às 19h, o poeta Celso Borges fará lançamento da Revista Fúria, que reúne 35 poemas do escritor e 18 ilustrações do artista plástico Diego Dourado.

“Neste evento reunimos literatura, artes visuais e performance poética, que estão, a priori, umbilicalmente interligadas, de forma transdisciplinar; e viva a poesia”, declara o diretor da Galeria Trapiche Santo Ângelo, o poeta e jornalista Paulo Melo Sousa.

O escritor Celso Borges vem fazendo nos últimos 12 anos um trabalho que mistura música e poesia no palco, procurando estimular novas percepções do texto poético escrito e falado. Dentro desse contexto, lançou três livros-CDs e vem realizando espetáculos de leituras e performances com intervenções sonoras. Essa experiência tem se refletido no seu processo de criação.

A Revista Fúria é o resultado das mudanças na poesia de Celso Borges a partir daí. O artista quer continuar criando uma zona de aproximação entre o cantar e o falar, entre a leitura tradicional e sua interpretação para além do livro. Ao publicar seus textos de palco numa revista, o poeta mais uma vez tenta estimular seus leitores e ouvintes, estabelecendo um atrito que, acredita ele, vai lançar um novo olhar sobre o discurso poético.

Fúria (revista + exposição), de Celso Borges e Diego Dourado, reúne principalmente textos que o primeiro interpretou no palco nos últimos 10 anos em projetos de poesia e música, e ilustrações do segundo feitas especialmente para a publicação.

A exposição reúne 10 das 18 ilustrações produzidas por Diego Dourado para a revista. Dispostas em diferentes formatos, feitas de nanquim e pastel, elas surgem dos acasos do ‘elemento-mancha’ – a partir do qual Diego deflagra uma situação de embate no espaço de ocorrência do desenho, da formação da imagem.

A reunião das ilustrações e dos versos (lado a lado) vem evidenciar que ambas as linguagens não caminham distantes uma da outra, se cruzam e se interpenetram no espaço da revista e da galeria. Como artista plástico e poeta, Diego trabalha no sentido desta integração, utilizando-se simultaneamente de diversos meios para produzir poemas e imagens.

Nos últimos 35 anos, Celso Borges participou como editor e colaborador de várias revistas culturais produzidas em São Luís, entre elas Arte e Vivência (final dos anos 70); Guarnicê e Uns & Outros (anos 80); e por último, Pitomba! (de 2011 a 2014). Publicou também poemas em revistas de circulação nacional como Coyote e Oroboro. Fúria homenageia de alguma forma essas intervenções.

LANÇAMENTO DA REVISTA FÚRIA E EXPOSIÇÃO
Celso Borges e Diego Dourado
Lançamento da revista e exposição
Dia 16 de julho, às 19h – Galeria Trapiche, Praia Grande
Com performance poética de Áurea Maranhão e Claudio Marconcine

Func divulga lista de inscrições deferidas no 36º Concurso Literário


A Prefeitura de São Luís, por meio da Fundação Municipal de Cultura (Func), divulgou, nesta segunda-feira (13), a lista dos candidatos ao 36º Concurso Literário Cidade de São Luís que tiveram as obras deferidas ou indeferidas na inscrição.

O prazo de inscrição encerrou no dia 02 de julho, com o recebimento de 220 obras literárias, nos mais diversos gêneros: romance, novela, conto, poesia, ensaios, peça teatral, literatura infatojuvenil, jornalismo literário, crônicas e literatura de cordel. No ato de inscrição, cada candidato assinou por meio de pseudônimo. Sete inscrições foram indeferidas.

Os pedidos de impugnação ou de reconsideração deverão ser encaminhados oficialmente, ao Protocolo da FUNC, dirigido à Presidência da Fundação, na sede, localizada na Rua Isaac Martins, 141, Fonte do Ribeirão- Centro, no horário de 08 às 18 h, dentro do prazo de até 48 horas após a divulgação da relação dos inscritos, com as devidas justificativas que comprovem as irregularidades alegadas.

O resultado final das obras selecionadas deverá ser divulgado na 9ª Feira do Livro de São Luís, em outubro deste ano.

Prefeitura apoia Festival de Zabumba e Encontro de Miolos de Boi


200 miolos de boi participam do encontro.

200 miolos de boi participam do encontro.

No mês de julho, após as festividades juninas, dois grandes eventos promovem a visibilidade da tradição das manifestações folclóricas maranhenses: o Encontro de Miolos de Boi, nesta sexta-feira (10), na Rua Portugal (Canto da Cultura), e o Festival de Bois de Zabumba, neste sábado (11). Os dois contam com o apoio da Prefeitura de São Luís, por meio da Fundação Municipal de Cultura (Func).

Para o presidente da Func, Marlon Botão, o apoio aos eventos reforça a política de fomento às tradições culturais. “A Prefeitura tem garantido o suporte de infraestrutura para os eventos que tem iniciativa da comunidade, fortalecendo os vínculos comunitários e o protagonismo dos próprios mantenedores da cultura popular”, afirmou.

Na foto, o presidente da Func, Marlon Botão, com o organizador do festival, Zé Reis.

Na foto, o presidente da Func, Marlon Botão, com o organizador do festival, Zé Reis.

Em sua décima edição, o Encontro de Miolos de Boi reúne 200 miolos de boi, que ficam em exposição na Rua Portugal e na Rua do Giz, no horário das 9h às 20h. O miolo é o brincante do bumba meu boi que dá vida e movimento ao boi. Segundo o coordenador do festival, o evento tem o objetivo de promover a visibilidade do principal animador dos grupos. “Sem miolo, o boi não dança”, disse.

Dez brincantes de miolo de boi serão homenageados durante o evento. Além da exposição, o festival contará com apresentação de grupos de banda marcial do Bom Menino, da Guarda Municipal, da Escola de Música e do Exército.

Às 18h, será realizado um cortejo pelas ruas da Praia Grande com a participação das bandas e desfile dos miolos de bumba meu boi. A Prefeitura garantiu apoio com infraestrutura. O festival conta também com o apoio do Governo do Maranhão, Sebrae, Clube de Dirigentes Lojistas e Spumaflex.

FESTIVAL DE ZABUMBA

No sábado (11), a partir das 18h, os amantes do sotaque de zabumba vão se encontrar no XXI Festival de Bumba Meu Boi de Zabumba, que acontece na Avenida Newton Belo, na Praça da Igreja Católica, no bairro do Monte Castelo.

O presidente do Grupo Cultural de Boi de Zabumba e Tambor de Crioula do Maranhão, Basílio Durans, destacou a importância do evento para integração e visibilidade da manifestação folclórica. “Há 21 anos a gente percebeu o risco de esquecimento dos grupos. Daí veio a ideia de realizarmos o festival. No primeiro ano, participaram apenas sete grupos. Hoje, nós contamos com 21 grupos presentes”, destacou.

Participam do evento grupos de boi de zabumba da capital maranhense e 2 grupos da região de Guimarães. O sotaque de zabumba é um dos mais antigos entre as manifestações folclóricas. Além da apresentação dos grupos, haverá homenagens aos pesquisadores Jandir Ferreira e Izaurinas Nunes, entrega de prêmios e apresentação do auto do bumba meu boi. A Prefeitura de São Luís e o Governo do Maranhão são apoiadores do evento.

36º Concurso Literário Cidade de São Luís encerra inscrições nesta quinta-feira (2)


Interessados em participar do 36º Concurso Literário Cidade de São Luís, concurso cultural promovido pela Prefeitura de São Luís, por meio da Fundação Municipal de Cultura (Func), poderão se inscrever no edital até amanhã, quinta-feira (2).

A Func receberá as inscrições dos candidatos na própria sede, no setor de protocolo, no horário das das 8h às 12h e das 13h às 18h, apresentando a ficha de inscrição, documentos pessoais e cópias impressas da obra literária concorrente. A Fundação Municipal de Cultura fica localizada na Rua Isaac Martins, nº 141, Centro. A ficha de inscrição e o edital estão disponíveis no portal da Prefeitura, no Portal da Prefeitura (www.saoluis.ma.gov.br).

SOBRE O CONCURSO
O 36º Concurso Literário vai premiar 20 autores, com obras inéditas, em dez diferentes categorias literárias: romance, novela, conto, poesia, ensaios, peça teatral, literatura infatojuvenil, jornalismo literário, crônicas e literatura de cordel.

Os vencedores, por categoria, receberão prêmio no valor de 7 salários mínimos
(equivalente a R$ 5.516, atualmente) para o 1º lugar e de 3 salários mínimos (equivalente a R$ 2.364, atualmente). Cada classificado selecionado até o 5º lugar receberá certificado de participação. Serão avaliados critérios como técnica narrativa, originalidade, estilo, linguagem, poética, entre outros.

Cada autor poderá se inscrever em mais de uma das categorias do concurso, ser maior de 18 anos e deverá ficar atento aos requisitos previstos no edital, como a exigência do pseudônimo e o ineditismo da obra. No caso da categoria peça teatral, não poderá ter sido encenada.

As obras vencedoras em 1º lugar terão tiragem de mil exemplares, com distribuição de 700 livros para o autor, 200 para instituições de ensino, pesquisa e bibliotecas e 100 para ao acervo da Prefeitura. O resultado da seleção deverá ser divulgado no mês de setembro.

Arraial da Praça Maria Aragão encerra programação; público total da festa foi de 115 mil, diz PM


Arraial da Praça Maria Aragão encerra programação; público total da festa foi de 115 mil, diz PM. Foto: Lauro Vasconcelos.

Arraial da Praça Maria Aragão encerra programação; público total da festa foi de 115 mil, diz PM. Foto: Lauro Vasconcelos.

A noite desta segunda-feira (29) no São João de Todos da Praça Maria Aragão, uma parceria da Prefeitura de São Luís e Governo do Estado, marcou o encerramento de um projeto bem sucedido. O espetáculo, que valorizou a cultura popular de uma das épocas mais festivas do Maranhão, foi acompanhado por aproximadamente 115 mil pessoas durante os dezoito dias de festa, de acordo com dados da Polícia Militar. A população, que compareceu maciçamente à programação, aprovou o arraial na Praça Maria Aragão.

Só nos dias 20 e 27 de junho, foram 25 mil pessoas em cada noite. No encerramento, a programação contemplou a diversidade das manifestações culturais do Maranhão, presente durante todos os dias de festança. O Boi de Eliézio, sotaque costa de mão, veio do município de Cururupu e mostrou as raízes da festa junina. O grupo foi inserido no projeto de salvaguarda da Fundação Municipal de Cultura (Func) com o objetivo de valorizar manifestações que estão praticamente extintas.

Além do grupo de costa de mão, a programação também contemplou o sotaque de orquestra representando pelo Boi Tradição de São Bento, o show Folia de São João “Grupo Folias de Três”, Cacuriá de Dona Teté, hoje comandado pela cantora Rosa Reis, Boi de Santa Fé, sotaque da baixada e Show de Pepê Junior.

Durante a apresentação do Boi de Santa Fé, a Func fez uma homenagem ao mestre Apolônio Melônio, que morreu no início do mês de junho deste ano. O presidente da Func, Marlon Botão, entregou para a viúva de Apolônio, Nadir Cruz, uma placa homenageando o grande nome da cultura popular maranhense. “Quero agradecer primeiramente a Deus e, em segundo lugar, a Prefeitura de São Luís por essa homenagem, pois o mestre Apolônio nos deixou o ensinamento da condução do bumba meu boi, principalmente no sotaque da baixada”, disse.

A festa foi acompanhada por turistas brasileiros de estados como Rio de Janeiro, Bahia, Minas Gerais, Pará e Santa Catarina, além de estrangeiros de países como Alemanha, Suíça e Itália. Além disso, a festa foi transmitida por equipes de televisão do Japão, Espanha e Itália.

Marlon Botão fez uma avaliação positiva dos dias de intensa programação cultural. “Foram 18 dias de participação grandiosa da população aqui nesse espaço, que está consagrado como o principal ponto de referência da cultura popular de São Luís”, comemorou.

SEGURANÇA
O conforto e a segurança foram grandes marcas da festa na Praça Maria Aragão. Quarenta guardas municipais escalados por noite trabalharam no evento durante os dezoito dias de festa. Oito seguranças de uma empresa privada fizeram o reforço no monitoramento do São João de Todos. A Blitz Urbana participou com quarenta agentes que organizavam o comércio informal. A parceria com o governo do Estado também garantiu que a Polícia Militar fizesse rondas ostensivas no local diariamente, além de disponibilizar dez policiais civis por noite. 16 bombeiros também foram escalados. Não houve registros graves de violência, apenas pequenos delitos e abordagens.

SAÚDE
Durante os dias de festa, as equipes de saúde fizeram diversos atendimentos educativos. No dia 28, foi realizada uma panfletagem com distribuição de informativos sobre o tabagismo, obesidade e hipertensão. Ao todo foram distribuídos também 13 mil preservativos femininos, 93 mil preservativos masculinos, além de 20 mil panfletos educativos. As equipes também fizeram atendimentos de aferição de pressão, curativos, glicemia e medicação.

FALA, POVO

Stefano Bertvcclok, italiano, 34 anos.

Stefano Bertvcclok, italiano, 34 anos.

“É a primeira vez que estou no São João do Maranhão e estou encantado com a beleza da cultura local, conheço outros lugares do Brasil e outras festas populares, mas nenhuma tão bonita e alegre como essa. Acredito que muitos estrangeiros e até mesmo brasileiros desconheçam a riqueza cultural que vocês possuem. Quando eu chegar à Itália, contarei aos meus amigos dessa festa e os convidarei para conhecê-la”

Cristiane Viegas, do bairro Radional, técnico Administrativo, 46 anos.

Cristiane Viegas, do bairro Radional, técnico Administrativo, 46 anos.

“Gostei muito da programação e da localização, pois facilita o acesso dos visitantes. Aqui na praça, circulam muitos ônibus e isso também é importante, além da segurança presente no local, vi vários policiais rondando todos os dias e isso garante maior tranquilidade para as famílias que visitam o arraial”

Betânia Serra, do bairro Forquilha, empresária, 37 anos.

Betânia Serra, do bairro Forquilha, empresária, 37 anos.

“Gostei bastante do arraial da Maria Aragão, muito organizado, seguro e principalmente preocupado com o social, por exemplo no atendimento aos idosos, a colocação das cadeiras reservadas próximas ao palco foi uma ótima iniciativa que a gente fica feliz em ver”

Albertina Muniz Ferreira, do bairro Cohatrac,  técnica em Edificações, 45 anos.

Albertina Muniz Ferreira, do bairro Cohatrac, técnica em Edificações, 45 anos.

“Esse ano foi o melhor arraial que já participei, venho todo ano, mas ainda não tinha visto um arraial tão organizado como o desse ano, destaque para a pontualidade dos grupos que permitiu que o público pudesse curtir uma programação animada e sem estresse. O policiamento no local também merece ser lembrado, pois para nós, mães, a segurança dos nossos filhos vem em primeiro lugar”